Bilionário é assim: quando cansa de brincar com seus iates, carrões, aviões ou de viajar pelo mundo, inventa algo novo. Como construir um foguete para passear por alguns minutos no espaço, por exemplo. E como nem tudo na vida é diversão, eles aproveitam para ganhar muito dinheiro de outros bilionários entediados.

É exatamente isso que o homem mais rico do mundo, Jeff Bezos, dono da Amazon, e o também bilionário Richard Branson, fundador do Grupo Virgin, estão fazendo. Os dois entraram numa disputa pessoal para ver quem faria o primeiro voo espacial turístico da história. Branson ganhou – por nove dias – de Bezos (que, para não perder a viagem, alardeou que seu foguete subiu mais alto que o do rival). Mas isso é só o começo dessa corrida espacial milionária.

A consultora do setor espacial e de satélites Northern Sky Research (NSR) estima que o mercado de viagens e turismo espacial gere cerca de US$ 8 bilhões até 2030. Bem, ninguém disse que a brincadeira também não poderia render um bom lucro.

Opções para passear no espaço não faltam. Bezos não divulga quanto vai custar o passeio pelas estrelas, mas disse que já faturou quase US$ 100 milhões na venda passagens privadas ao espaço. Para a viagem inaugural, ele fez o leilão de uma vaga – vendida por US$ 28 milhões.

Mas não precisa ficar triste achando que você nunca vai poder fazer esse passeio. Embarcar no foguete VSS Unity, da empresa Virgin Galactic Holding, de Branson, sai bem mais em conta – apenas US$ 250 mil por vaga. Mas é melhor correr, porque com um preço assim tão acessível, cerca de 600 pessoas já reservaram seus bilhetes para embarcar no próximo ano, quando a empresa pretende iniciar viagens regulares ao espaço.

Há um terceiro bilionário correndo por fora: Elon Musk, o homem dos carros elétricos e dono da SpaceX, que tem planos mais ousados: ele pretende enviar seus clientes até a Estação Espacial Internacional ainda no fim deste ano. De acordo com o site da companhia Biogelow Aerospace e informações da imprensa internacional, os três passageiros que farão a viagem inaugural ao lado de Musk desembolsaram US$ 52 milhões cada um pelo direito de passar 10 dias no espaço.

 O primeiro…

Richard Branson, de 70 anos, detém o título de ter sido o primeiro a oferecer viagens turísticas ao espaço. No dia 11 de julho, ele realizou o primeiro voo espacial a bordo da nave VSS Unity, da Virgin Galactic (empresa da qual, obviamente, ele é o dono).

Branson viajou acompanhado de dois pilotos e três especialistas. A nave atingiu uma altitude de cerca de 88 quilômetros. A viagem foi feita na vertical e a uma velocidade três vezes superior à do som, e permitiu que os tripulantes desfrutassem de alguns minutos de gravidade zero. 

Era o sonho de Branson: tornar-se astronauta e ao mesmo tempo inaugurar as viagens turísticas ao espaço. “Foram dezessete anos de trabalho árduo que nos trouxeram até aqui”, declarou o bilionário inglês.

…e o segundo

O rival Jeff Bezos embarcou para o espaço nove dias depois (em 20 de julho) a bordo do New Shepard (um foguete de sua empresa, a Blue Origin). A nave, cujo nome homenageia Alan Shepard (o primeiro estadunidense a ir ao espaço há 60 anos), realizou um voo espacial suborbital – ou seja, atingiu o espaço, mas não realizou uma volta completa ao redor da Terra. Bezos não ultrapassou a atmosfera sozinho: ao seu lado estavam seu irmão, Mark, a aviadora Wally Funk, de 82 anos, e Oliver Daemen, de 18 – esses dois últimos se tornaram, respectivamente, a pessoa mais idosa e a mais nova a irem para o espaço.

E Bezos de fato chegou mais alto que Branson – sua nave atingiu os 100 km de altitude, cerca de 20 a mais que a do rival. Mais importante, foi o primeiro voo espacial da história realizado sem pilotos – todos a bordo eram civis.

É bom lembrar que, entre os três, a SpaceX foi a primeira a realizar uma viagem tripulada (embora não turística) ao espaço em 30 de maio de 2020, seguida pela Virgin Galactic, em 22 de maio de 2021. 

Sonhos pessoais à parte, toda essa disputa visa mesmo garantir uma fatia num mercado potencialmente muito lucrativo nas próximas décadas. Nada melhor do que ir ao infinito do espaço – e levar sua conta bancária além dos bilhões que ela já acumula. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor,deixe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui