Campinas volta ao foco de ações contra bando que aterrorizou Araçatuba

0
Foto: Divulgação

A Polícia Federal (PF) mobilizou cerca de 100 agentes em uma ação que cumpriu 24 mandados de busca e apreensão e oito de prisão temporária na manhã desta quinta-feira (14), todos decorrentes da investigação do roubo às agências bancárias da Caixa e Banco do Brasil que aterrorizou Araçatuba na madrugada do dia 30 de agosto.

Segundo a PF, a operação foi concentrada no Estado de São Paulo e contou com auxílio da Polícia Militar da Capital e com o apoio do Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep) de Campinas – cidade que voltou a ser foco de buscas da investigação e onde foi cumprido um dos mandados de busca.

Foram cumpridos ainda seis mandados de busca na cidade de São Paulo, um em Águas de Santa Bárbara, três em Mairiporã, três em Osasco, cinco em Guarulhos, dois em Cotia, um em Itapecerica da Serra e dois em Itapevi. Pela manhã, a PF cumpriu ainda sete dos oito mandados de prisão – um suspeito continua foragido. A corporação não informou as cidades onde foram feitas essas prisões.

“O aprofundamento das investigações levou à reunião de novos elementos de convicção, inclusive com a identificação de novos integrantes da organização criminosa que atuou no roubo em Araçatuba, possibilitando, assim, que a Justiça Federal autorizasse a expedição dos mandados e prisões”, informou a PF.

Decorridos 45 dias do roubo em Araçatuba, a corporação já deu cumprimento a 51 mandados de busca e apreensão e prendeu 15 pessoas suspeitas de envolvimento no crime. No dia posterior à madrugada de terror naquela cidade, um dos suspeitos foi preso em Campinas. A cidade voltou a receber uma ação da PF relacionada ao caso no dia 14 de setembro, quando oito mandados de busca foram realizados em imóveis da cidade.

Na noite do crime em Araçatuba, uma quadrilha com armamentos pesados explodiu caixas e fez ataque a tiros, promovendo invasões a três bancos. Pessoas que passavam pelas ruas foram feitas reféns e veículos foram incendiados em ruas próximas às instituições invadidas e em acessos ao município.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor,deixe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui