Chuva deixa mais de 285 mil pontos sem energia no Paraná

0
Funcionário da Defesa Civil observa poste caído em Foz do Iguaçu (Foto: PM de Foz do Iguaçu/Divulgação)

A forte chuva que atingiu partes do Paraná no sábado (23) deixou cerca de 285,5 mil residências e estabelecimentos comerciais paranaenses sem energia elétrica. Até o fim da manhã de domingo (24), cerca de 253 mil pontos continuavam sem energia elétrica no estado. Este é o segundo temporal que castiga o Paraná em um intervalo de apenas dez dias.Chuva deixa mais de 285 mil pontos sem energia no Paraná 1Chuva deixa mais de 285 mil pontos sem energia no Paraná 2

Em nota, a Copel (Companhia Paranaense de Energia) informou que equipes de funcionários procuravam atender aos mais de 7,6 mil chamados de ocorrência abertos desde o sábado, tentando recuperar os estragos causados à rede elétrica e restabelecer o serviço o mais rapidamente possível.

A região mais afetada foi a Noroeste do estado, onde pelo menos 127 postes de energia foram quebrados pela força do vento ou ao serem atingidos por árvores que caíram. Na região Norte, embora o número de unidades consumidoras sem energia e de reclamações seja menor, o total de postes danificados é ainda maior: 156. Além disso, quatro torres de transmissão também foram prejudicadas.

Ainda de acordo com a Copel, o fornecimento de energia elétrica foi quase que totalmente interrompido em pelo menos 35 cidades: Alvorada do Sul, Amaporã, Cafeara, Diamante do Oeste, Floraí, Guairacá, Iguatu, Inajá, Indianópolis, Itaguajé, Jandaia do Sul, Japurá, Jardim Olinda, Jussara, Lupionópolis, Mirador, Missal, Nova Aliança do Ivaí, Nova Olímpia, Ourizona, Paranapoema, Planaltina do Paraná, Porto Barreiro, Presidente Castelo Branco, Ramilândia, Santa Inês, Santa Mônica, Santo Antônio do Caiuá, Santo Inácio, São Carlos do Ivaí, São João do Caiuá, São Manoel do Paraná, Tapira, Terra Rica e Vera Cruz do Oeste.

Foz do Iguaçu

De acordo com a prefeitura de Foz do Iguaçu, os ventos na cidade chegaram a 70km/h e derrubaram cerca de 100 árvores. Além disso, em alguns pontos foi registrada queda de granizo, e a Defesa Civil teve que atender a dezenas de solicitações de lonas plásticas para remediar danos causados aos telhados. Ao menos duas famílias cujas casas ficaram alagadas precisaram ser levadas para abrigos.

Os efeitos do temporal levaram, ainda,  a Secretaria Municipal de Saúde a suspender a vacinação prevista para este domingo em cinco Unidades Básicas de Saúde (Vila C Velha, Vila C Nova, Porto Belo, Cidade Nova e São João). Nas demais, o atendimento à população ocorreu normalmente.

Levantamento de danos

O secretário de Justiça, Família e Trabalho do Paraná, Ney Leprevost, afirmou que o governador paranaense, Ratinho Júnior (PSD), o autorizou a orientar os prefeitos do Estado a decretarem estado de calamidade, caso necessário, “pois assim poderemos liberar recursos para os municípios atingidos comprarem material de construção para as pessoas reconstruírem suas casas”, disse Leprevsot, alertando para a previsão de mais chuvas.

No total, o governo estadual contabiliza 384 pessoas atingidas e 32 desalojadas, das quais 16 permanecem em abrigos provisórios. Só no município de Moreira Sales, uma das 16 cidades paranaenses a registrar chuva de granizo, 70 casas foram bastante danificadas, deixando a 20 pessoas desalojadas.

Itaipu

As chuvas também causaram, no último sábado, o desligamento temporário de parte das unidades geradoras de energia elétrica da usina binacional de Itaipu, na tríplice fronteira Brasil-Argentina-Paraguai. Em nota divulgada esta manhã, a empresa informou que as linhas de transmissão foram religadas no mesmo dia. E que, salvo pela interrupção e a consequente redução momentânea da geração de energia, o temporal não prejudicou as instalações da usina, que já opera normalmente.

Apesar disto, o vertedouro da usina teve que ser momentaneamente aberto para compensar a diminuição do volume d’água lançado no Rio Paraná, de forma a manter o nível dentro dos limites de variação permitidos.

“O vertedouro permaneceu aberto pelo tempo e com valores de vazão estritamente necessários para compensar a redução parcial da geração”, informou a empresa, na nota. “À medida que Itaipu foi sendo demandada para o restabelecimento da geração aos valores originais, a vazão vertida foi sendo diminuída até o completo fechamento do vertedouro, às 22h22 deste sábado.”

As linhas de transmissão afetadas conectam a usina ao Sistema Interligado Nacional (SIN) que, acionado, desligou automática e temporariamente as cinco das dez unidades geradoras do setor de 60 hertz de Itaipu.

(Agência Brasil)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor,deixe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui