Energia solar ganha espaço e já gera 9GW no País

0
Foto: Reprodução

O Brasil acaba de ultrapassar a marca histórica de 9 gigawatts (GW) de potência operacional de fonte solar em usinas de grande porte e pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos – energia suficiente para abastecer perto de 10 milhões de residências

Desde 2012, a fonte já trouxe mais de R$ 46 bilhões em novos investimentos ao País e gerou mais de 270 mil empregos acumulados, segundo dados de levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). 

O avanço da energia solar no País, via leilões para grandes usinas ou pela geração própria em residências, pequenos negócios, propriedades rurais e prédios públicos, é fundamental para reduzir o chamado “custo Brasil”, com uma energia elétrica mais competitiva, reduzindo a ocorrência das bandeiras vermelhas na conta de luz da população e diversificando o suprimento de energia elétrica. 

No segmento de geração centralizada, o Brasil possui 3,3 GW de potência instalada em usinas solares fotovoltaicas, o equivalente a 1,9% da matriz elétrica do País.  

Atualmente, as usinas solares de grande porte são a sétima maior fonte de geração do Brasil, com empreendimentos em operação em nove Estados nas regiões Nordeste (Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte), Sudeste (Minas Gerais e São Paulo) e Centro-Oeste (Tocantins). Os investimentos acumulados deste segmento ultrapassam os R$ 18 bilhões. 

Ao somar as capacidades instaladas das grandes usinas e da geração própria de energia solar, a fonte fotovoltaica ocupa o sexto lugar na matriz elétrica brasileira, atrás das fontes hidrelétrica, eólica, biomassa, termelétricas a gás natural e termelétricas a diesel e outros combustíveis fósseis. A fonte solar já representa mais do que a somatória de toda a capacidade instalada de termelétricas a carvão e usinas nucleares, que totaliza 5,6 GW. 

No segmento de geração própria de energia, são 5,7 GW de potência instalada. Isso equivale a mais de R$ 28 bilhões em investimentos acumulados desde 2012, espalhados pelas cinco regiões do Brasil. A tecnologia solar é utilizada atualmente em 99,9% de todas as conexões de geração própria no País, liderando com folga o segmento. 

Para o CEO da Absolar, Rodrigo Sauaia, o crescimento das energias renováveis fortalecerá a diversidade e segurança de suprimento elétrico do Brasil, aliviando a pressão sobre os recursos hídricos, cada vez mais escassos e valiosos, bem como reduzindo o uso de termelétricas fósseis – caras, poluentes e responsáveis pelas bandeiras vermelhas na conta de luz dos brasileiros. 

“Um estudo técnico de três anos comprovou que é possível ampliar a participação das fontes solar e eólica no Brasil em mais de quatro vezes, com confiabilidade, segurança e estabilidade da matriz elétrica nacional”, diz Sauaia. 

O estudo desbancou o mito de que o País dependeria das termelétricas para dar suporte ao crescimento das renováveis. “Na realidade, o que os dados apontaram é que o equilíbrio do sistema é fornecido em especial pelas hidrelétricas renováveis, e não pelas termelétricas fósseis. Por isso, a evolução para uma matriz elétrica 100% limpa é possível e depende mais de vontade e liderança política do que de condições técnicas e econômicas”, acrescenta Sauaia.

(Investe SP) 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor,deixe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui