Manaus vive segunda noite sob ataque de bandidos

0
Foto: Agência Brasil

Criminosos voltaram a atacar prédios em Manaus entre a noite do último domingo (6) e a madrugada desta segunda-feira (7). Além de uma Unidade Básica de Saúde (UBS), os bandidos atiraram contra a sede do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) e incendiaram ao menos um caixa eletrônico na capital amazonense.Manaus vive segunda noite sob ataque de bandidos 1Manaus vive segunda noite sob ataque de bandidos 2

Os novos ataques se somam aos registrados entre a noite de sábado (5) e a madrugada de domingo, quando ao menos 14 ônibus, duas viaturas policiais, um estabelecimento comercial e um transformador de energia elétrica foram incendiados em Manaus, e prédios públicos e veículos depredados em outras cidades do Estado.

Um destes municípios é Careiro Castanho, a cerca de 88 quilômetros da capital. A cidade, que já tinha sido palco de ataques na noite de sábado, voltou a ser alvo, com bandidos incendiando o prédio da Secretaria Municipal de Obras.

Segundo a secretaria estadual de Segurança Pública, a relação entre os casos ainda está sendo investigada, mas a onda de ataques começou depois que um traficante foi morto durante uma ação da Polícia Militar, no último sábado. De acordo com a secretaria, ao menos 15 suspeitos de participar dos ataques já tinham sido detidos até a manhã de hoje.

A Secretaria de Administração Penitenciária confirmou que o governo estadual está apurando a informação de que a ordem para os ataques partiu de dentro de um presídio, conforme apontou o departamento de inteligência da Secretaria de Segurança Pública.

Após determinar o reforço no policiamento ostensivo em Manaus e região metropolitana da capital, o governador do Amazonas, Wilson Lima, decidiu pedir ao Ministério da Justiça e Segurança Pública que envie efetivos da Força Nacional de Segurança Pública para auxiliar no combate ao crime organizado. O pedido está sendo analisado pelo Ministério.

Devido aos ataques desta madrugada, os ônibus deixaram de circular durante a manhã. Em função da dificuldade de locomoção, o governo do Amazonas determinou aos Órgãos estaduais que liberassem os servidores para trabalhar preferencialmente de suas casas, com exceção daqueles que atuam em serviços essenciais, como saúde e segurança pública. As aulas presenciais da rede estadual de ensino também foram suspensas.

De acordo com a secretaria estadual de Saúde, em Manaus, alguns servidores organizaram um sistema de carona solidária, enquanto outros recorreram a serviços de aplicativos ou providenciados por diretores de unidades de saúde a fim de manter o funcionamento das unidades. Veículos administrativos da própria Secretaria também foram usados para o deslocamento de servidores.

(Agência Brasil)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor,deixe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui