Mostra Ecofalante de Cinema tem programação on-line gratuita

0
"A Última Floresta", de Luiz Bolognesi, é uma das atrações da mostra (Foto: Divulgação)

Segue até 9 de junho a 10a Mostra Ecofalante de Cinema, que promove a exibição on-line de filmes, debates e webinários sobre a causa ambiental. Esta edição, realizada durante a Semana do Meio Ambiente, oferece um painel das questões, impasses e possíveis soluções para a Amazônia. Veja a programação completa aqui.

Entre os destaques da mostra, estão os seis episódios de “Transamazônica: Uma Estrada Para o Passado”, série da HBO dirigida por Jorge Bodanzky e Fabiano Maciel. A elogiada produção percorre a rodovia BR-230, obra iniciada durante a ditadura, com extensão implantada de 4.260 km e nunca finalizada. Da extração ilegal de madeira e a rotina nos garimpos ao abandono da população, a série documenta a situação de quem vive atualmente nas regiões por onde passa a estrada.

Em pré-estreia mundial, “BR Acima de Tudo”, de Fred Rahal Mauro, trata dos impactos da possível expansão da rodovia BR-163, cujo traçado corta a floresta amazônica em direção à fronteira do Brasil com o Suriname.

Também serão exibidos títulos inéditos comercialmente no Brasil, como “Edna”, de Eryk Rocha, que teve estreia internacional no festival suíço Visions du Réel e enfoca as disputas pela terra em uma moradora nas margens da rodovia Transbrasiliana (BR-153, ou rodovia Belém-Brasília), e “A Última Floresta”, do diretor Luiz Bolognesi, selecionado para a edição deste ano do Festival de Berlim e protagonizado por Davi Kopenawa (coautor do roteiro), xamã de tribo yanomami que vive embates com garimpeiros em seu território.

Na programação está incluído o multipremiado longa-metragem britânico “Quando Dois Mundos Colidem”, que aborda o conflito desencadeado na Amazônia peruana por um projeto de extração de petróleo, minério e gás, que vitimou os povos indígenas ali residentes. A obra levou o prêmio especial do júri no Festival de Sundance em 2016, além de outros prêmios em festivais pelo mundo.

Ficam disponíveis durante o evento seis episódios da série “A Década da Destruição”, coprodução Brasil/Reino Unido dirigida entre 1980 e 1990 por Adrian Cowell (1934-2011) e Vicente Rios e considerada um marco no documentário ambiental feito no Brasil. A produção retrata a luta pela terra e a violência de fazendeiros contra trabalhadores rurais, bem como o conflito entre a antiga mineradora CVRD (atual Vale S/A) e garimpeiros. O episódio “Chico Mendes – Eu Quero Viver” focaliza a trajetória do sindicalista, ativista político e ambientalista Chico Mendes (1944-1998), destacando sua luta a favor dos seringueiros da Amazônia. 

Também estão na programação “Soldados da Borracha”, de Wolney Oliveira, vencedor do prêmio de melhor filme (concedido pelo público) na Mostra Ecofalante de Cinema de 2020; “Amazônia Sociedade Anônima”, de Estevão Ciavatta, finalista do One World Media Awards; “Mataram Irmã Dorothy”, coprodução EUA/Brasil que venceu o grande prêmio do júri e prêmio do público no festival SXSW; e “Serra Pelada: A Lenda da Montanha de Ouro”, de Victor Lopes, sobre o maior garimpo do Brasil e premiado como melhor filme no FICA – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental.

“Iracema: Uma Transa Amazônica”, documentário de Jorge Bodanzky de 1974, também está na programação da mostra.

Selecionado para o Festival de Berlim, “O Reflexo no Lago”, de Fernando Segtowick, trata de comunidades ribeirinhas localizadas próximas da hidrelétrica de Tucuruí, no Pará. Já projetos com propostas de uso da floresta de maneira sustentável estão em “Amazônia Eterna”, de Belisario Franca, vencedor do prêmio de melhor documentário no BRAFFTV – Festival de Cinema Brasileiro em Toronto. A atriz Christiane Torloni dirige, em parceria com Miguel Przewodowski, “Amazônia, o Despertar da Florestania”, discussão sobre questões ambientais da floresta amazônica. E no curta-metragem “Ameaçados”, premiado na Mostra Ecofalante de Cinema e em diversos festivais, a diretora Julia Mariano mostra a luta de pequenos agricultores do sul e sudeste do Pará.

Debates

Nesta quinta-feira (3), às 19h, acontece o debate “Para Onde Leva a Transamazônica?”, com Jorge Bodanzky e Fabiano Maciel, o documentarista João Moreira Salles, Alessandra Munduruku e Danicley de Aguiar, do Greenpeace Brasil. A jornalista Flavia Guerra faz a mediação. Na sexta (4), no mesmo horário, será discutido o tema “Amazônia: Uma Questão de Terra(s)”, com Brenda Brito, pesquisadora do Imazon (Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia), Marcello Brito, presidente da ABAG (Associação Brasileira do Agronegócio) e Sônia Guajajara, líder indígena nacional (APIB).

SERVIÇO

10a Mostra Ecofalante de Cinema

Até 9 de junho

No site ecofalante.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor,deixe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui