Pandemia derruba exames preventivos de glaucoma, que pode causar cegueira

0
(Foto: Divulgação/ShuterStock)

Seis milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência visual no Brasil, segundo dados divulgados pelo IBGE. E a pandemia fez com que os exames preventivos, como o de glaucoma, caíssem 30% no ano passado, com as pessoas temendo ir a uma unidade de saúde. A situação é preocupante, segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), já que o glaucoma é a principal causa de cegueira evitável. 

Quase 1,6 milhão de exames com essa finalidade diagnóstica deixaram de ser feitos somente no Sistema Único de Saúde (SUS) e pelo menos 6,7 mil procedimentos cirúrgicos, que poderiam reverter e tratar a doença, deixaram de ser feitos em 2020, acrescenta a Entidade.

Todas as faixas etárias tiveram redução no número de exames. Entre o público com mais de 60 anos, a queda foi de 700 mil exames. Na faixa que vai entre 20 e 59 anos, a redução foi de 551,5 mil exames em 2020. Entre crianças e adolescentes, o impacto foi de 168,7 mil procedimentos. “Entre os pacientes do sexo feminino, a redução foi de 29% nos exames preventivos, enquanto no sexo masculino a queda foi de 25%”, detalha o CBO.

Com objetivo de conscientizar o maior número de pessoas possíveis, O Vera Cruz Hospital realiza amanhã (terça-feira, 20) uma live às 17h, com o oftalmologista Flávio Hirai. O evento poderá ser acompanhado pelo perfil do hospital no Instagram (@veracruzcampinas).

O Ministério da Saúde também disponibiliza lives e vídeos frequentemente sobre diversos temas, entre eles, o “Abra os olhos para não perder a visão” (https://www.youtube.com/watch?v=wDJFt_2gY2w). As autoridades da área apontam para a importância do internauta checar a autoria das lives, vídeos e outras comunicações na rede.

Pandemia derruba exames preventivos de glaucoma, que pode causar cegueira 1
(Foto: Reprodução)

“Alguns problemas podem ser evitados quando identificados e tratados corretamente. É importante manter as visitas periódicas ao oftalmologista para cuidar da saúde dos olhos” explica Hirai.

Segundo o especialista, o Home Office, adotado por grande parte das empresas no combate à pandemia, gerou aumento nas queixas de sintomas pelo uso frequente de telas, tais como dor de cabeça e olhos vermelhos ou lacrimejando. Para que isso não aconteça, uma rotina de cuidados é importante.

“Para aqueles que seguem em Home Office, é importante atentar à distância do monitor, evitando deixá-lo muito próximo, e realizar pausas durante o dia para que os olhos relaxem. A melhor forma de descansar a visão é gastar alguns segundos olhando para um objeto a mais de seis metros de distância”, orienta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor,deixe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui