Trajetória de Bruce Lee, morto aos 32, é retratada em biografia

0
Reprodução

Considerado o praticante de artes marciais mais influente de todos os tempos, Bruce Lee (1940-1973) tem sua trajetória retratada em biografia assinada pelo jornalista e autor best-seller Matthew Polly. Lançada no Brasil pela editora Seoman, “Bruce Lee – Uma Vida” traz passagens inéditas da vida de Lee, além de mais de uma centena de entrevistas – incluindo com a atriz em cuja cama ele foi encontrado sem vida – e relatos sobre a carreira desse ícone da cultura pop do século 20, que ajudou a aproximar o oriente do ocidente e mudou a maneira como os asiáticos eram representados no cinema norte-americano.

A obra aborda desde a infância do artista como ator mirim (sua primeira aparição no cinema se deu quando ainda era um bebê) até a idade adulta e inclui as especulações sobre sua controversa morte – atribuída na época a um edema cerebral provocado por alergia a um analgésico. O autor reuniu ainda dezenas de fotos raras e traz novas informações sobre momentos finais de Bruce Lee, em 20 de julho de 1973.

Em seus breves 32 anos de vida, Bruce Lee passou de instrutor de artes marciais a astro de cinema internacional. Nascido em São Francisco, Califórnia, e criado em Hong Kong, era filho de uma famoso cantor de ópera e desde cedo viveu em meio à indústria do cinema. Durante a infância, por se envolver constantemente em brigas, seus pais decidiram matricular Lee em aulas de artes marciais para canalizar sua raiva e energia.  

Aos 18 anos, já colecionava 20 aparições no cinema local e um sem-número de brigas no currículo. Seus pais decidiram, então, enviá-lo para estudar nos Estados Unidos, onde começou a ensinar artes marciais orientais (uma mescla de diversos estilos e da filosofia por trás dessas práticas), posteriormente batizada de Jeet Kune Do. Essas aulas, muitas dadas para astros do cinema, ofereceram uma oportunidade para Lee retomar sua carreira de ator nos Estados Unidos.

Entretanto, ele teve de enfrentar diversos obstáculos, a começar pelo preconceito enfrentado por atores orientais – Lee perdeu diversos trabalhos importantes para atores com os olhos pintados para parecerem orientais. No entanto, seus últimos anos de vida lhe renderam excelentes e aclamadas atuações, uma trajetória abreviada por uma morte precoce, aos 32 anos.

SERVIÇO

Trajetória de Bruce Lee, morto aos 32, é retratada em biografia 1

Bruce Lee – Uma Trajetória

Ed. Seoman

712 páginas

Preço: R$ 109,90 (versão impressa) e R$ 76,90 (e-book)

Trecho do livro

“Bruce Lee passou a vida viajando entre o Oriente e o Ocidente.  Quando ele faleceu, como havia apenas um corpo para sepultar, sua viúva ocidental teve de optar por um dos lados. Ela escolheu sua cidade natal. ‘Eu decidi sepultar Bruce em meio à paz e a tranquilidade de Seattle’, explicou Linda. ‘Acredito que ele tenha passado seus melhores momentos em Seattle, e eu pretendia retornar para lá para viver com meus filhos’. Seattle foi o lugar onde Linda crescera, frequentara a faculdade e onde se apaixonara por Bruce Lee.”

Sobre o autor

Matthew Polly é autor dos best-sellers sobre artes marciais “American Shaolin” e “Tapped Out”. Formado pela Universidade de Princeton e bolsista na Universidade de Oxford, estudou kung fu por dois anos na China. Seus textos encontram-se em publicações como The Washington Post, Esquire, Slate, Playboy e The Nation. Polly é pesquisador na Universidade de Yale e mora em New Haven, Connecticut, nos Estados Unidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor,deixe seu comentário
Por favor, informe seu nome aqui